Porque a maioria dos estudantes falham em aprender direito o inglês?

Toda segunda feira eu dou aula na VanArts, faculdade de artes visuais localizada no centro de Vancouver. Por coincidência, uma das escolas de Inglês mais tradicionais da cidade está também instalada no mesmo edifício onde eu trabalho. Ou seja, eu pego o mesmo elevador que os estudantes de inglês brasileiros dessa escola. Essa é minha rotina uma vez por semana há mais de 4 anos.

ingles-fail

Permita-me ser o mais sincero possível com vocês: a grande parte dos Brasileiros não aprendem inglês como deveriam e voltam para o Brasil com um inglês sofrível.

E mais (já dando uma de ‘paizão’ rs): grande parte desses estudantes estão gastando dinheiro à toa e perdendo um precioso tempo aqui no Canadá.

Eles só falam português!!!

Não é culpa da escola, afinal todas elas possuem regras rígidas de se falar apenas inglês enquanto você estiver lá. Mas da porta pra fora o caso é bem diferente….

A rotina deles:

  • Dentro do metrô: Português
  • Na fila do Starbucks ou Tim Hortons: Português (ok, pra pagar tem que ser inglês: “I want” / “How much”)
  • No elevador: Português (na fila para o elevador também)
  • Na hora do almoço: Português
  • Depois da aula: Português
  • Atividades extras: Português / Inglês (se for uma atividade da escola)
  • Baladas: Brasileiros estão sempre em grupos = Adivinhem?….Sim! Português! Again!

Na última segunda feira eu estava no elevador e ouvi uma garota dizer o seguinte: “ontem de noite estava conversando pelo skype com minha amiga no Brasil por mais de 1 hora, mas minha hostmother ficou me enchendo e me chamando pra ir fazer compra com ela: saco! “ (*Hostmother é a “mãe” quando se fica em homestay)

Parabéns Hostmother!

Sério que você veio para o Canadá fazer intercâmbio para aprender inglês? – eu quase perguntei para essa menina no elevador.

Essa é a pergunta que me faço desde quando cheguei aqui.

São todos os Brasileiros que fazem isso? Não, mas grande parte (talvez 95%….. continue lendo)

É por isso que uma pesquisa feita em 2012 no Brasil mostrou que de todos os Brasileiros que dizem falar inglês fluente, apenas 5% realmente falam!. Hm… coincidência….
[note color="#fef0fd"]

Dica importante

Se você está vindo para o Canadá para ter esse tipo de atitude que citei acima, mude seus planos.

Não pague uma escola! Não desperdice dinheiro.

Pegue seus dólares e curta esses 1 ou 2 meses que você estiver aqui viajando pela região, fazendo compras, etc.

Dessa forma você vai provavelmente aprender mais inglês, conhecer mais o Canadá e não enganar a si mesmo. Que tal?[/note]

“Caio, é fácil falar….. mas quando a gente chega aí é difícil evitar”

Algumas pessoas já me disseram isso.

É por esse motivo que quando eu vim para o Canadá, segui os seguintes passos (os principais):

  1. Eu limitava o tempo por semana para conversar com família e amigos no Brasil. Seu eu conversava mais com meus pais, reduzia tempo com amigos. Seus familiares e amigos vão entender isso se você explicar.
  2. Eu dividia apartamento apenas com estrangeiros.
  3. Não tinha amigos Brasileiros. Todos estrangeiros. E você não imagina o quanto você pode aprender e crescer conhecendo outras culturas. Além de poder praticar muito o inglês.
  4. Cortei todas as baladas, restaurantes, eventos – Brasileiros. (Você já não fez isso no Brasil por 20 – 25 anos? Precisa mesmo fazer isso nesses preciosos meses aqui no Canadá?)

Para finalizar, outra fase que já ouvi diversas (muitas) vezes:

“É difícil praticar inglês com meus colegas japoneses e koreanos, porque eles não falam bem”

Come on! Desculpa sua!

Querem saber como eu desenvolvi bem o meu inglês?

Simples: quando eu estudava inglês eu dividia apartamento com meu amigo japonês. O inglês dele era bem básico comparado ao meu e isso me fez ter mais paciência em explicar as coisas, repetir frases e ajuda-lo a aprimorar o inglês dele. Isso valeu mais do que meses em uma escola de inglês.

Se você tem alguma dica para lidar com esse problema ou quer compartilhar alguma experiência semelhante, comente abaixo!

Comments on this entry are closed.

  • Boas dicas
    Espero poder um dia também morar ai com minha esposa.

    • Quando fiz intercâmbio em Vancouver / Canadá vi muuuito disso. No início da viagem resolvi não dar bola para brasileiros, pois uma vez sai com um pessoal e eles só falavam português. Aí pensei, pera lá, estou aqui com outro objetivo, vou me distanciar desse povo! Foi exatamente isso que eu fiz. Passei a sair com alemães, árabes, japoneses, coreanos, suiços, mexicanos etc!!! Uma vez, até jantei APENAS COM JAPONESES (era a única pessoa de outra nacionalidade). Foi uma honra ter sido convidada para aquele jantar!!! E uma vez perdi o último Skytrain, estava sozinha e pedi ajuda para canadenses, E, por sorte, um deles ia para Burnaby, como eu!! Ficamos conversando todo o caminho!! Só posso dizer uma coisa: minha experiência foi fantástica e pretendo ir novamente ano que vem!! Mas é aquela coisa. Quem faz o intercâmbio é o intercambista, não adianta querer se enganar!

      • Oi Caio, oi Fernanda. Quero agradecer muito à vcs por essas dicas. Estou indo pra Toronto em setembro deste ano e como não tenho (ainda) nenhuma experiência com intercâmbio sempre, sempre acesso este site e qdo me deparo com dicas como estas fico realmente agradecida. Valeu gente!!!

    • Ola Caio,

      Eu concordo com tudo que você disse, apenas gostaria de dizer que existe o lado daqueles que querem apenas ter uma experiencia fora e nao ser fluente. Alias, ser fluente e morar no Brasil, para que?!
      Quantas posições de emprego no Brasil voce precisa do ingles 100% do seu dia, e precisar dele ao ponto dele ser fluente?!
      E nao se pode comprar sua experiencia quando voce estuda e quando voce viaja. Voce pode passar meses viajando e nao vai fazer o tanto de amigos e conhecer o tanto de estorias bacanas e tudo mais que uma escola te oferece.
      Eu passei 1 ano em Sydney e 1 mes em Vancouver (estudando) … Nas duas vezes eu falava portugues quase tanto quanto inglês e nem por isso me arrependi, nao sou fluente, ate porque acho esse termo muito exagerado. Provavelmente nem voce ai ha 9 anos seja fluente. Voce é avançado mas muitas coisas vc nao entende ou pede para repetir…
      Ser fluente é falar as duas coisas como se fossem maternas, provavelmente é fluente quem foi alfabetizado nos dois idiomas…

      Mas, concordo que isso tem que ser analisado, os pais tem de estar conscientes (se forem deles o $$, no meu caso nao foi) e os alunos tem que saber quais sao os objetivos ANTES de sair do BR, para quando chegar lá tomar certas atitudes que contribuam para a realização do objetivo.
      Eu acho que morar com estrangeiros, sair com estrageiros e falar o maximo de ingles por dia uma coisa muito inteligente, pois te agrega alem do idioma, a cultura e a nocao de como as coisas funcionam fora do nosso país.
      Eu amo meus amigos koreanos, japoneses e taiwaneses… eles virao no BR me visitar agora em 2013 ;)

      • Sou brasileiro e atualmente moro no Canada ja faz algum tempo. Morei tambem na Europa em paises onde o ingles nao eh a lingua oficial, mas se fala ingles com fluencia.

        Maturidade nas atitudes pessoais e profissionais nao tem fronteiras. Minha profissao (vendas internacionais de bens de capitais) exige fluencia em idiomas, mesmo em visitas a clientes em paises como o Brasil.

        Tenho a mesma opiniao que o Caio. Nao basta ter nocoes de ingles em um mercado competivo, eh preciso ser fluente. Acredito que este seja o caso do Caio, que vive a mais de nove anos no Canada.

        Sugestao para um proximo podcast: “conflitos e choques culturais que obstruem a carreira profissional e a adaptabilidade de alguns brasileiros em solo canadense.

      • Legal suas observações sobre o inglês Caio. Apesar de não ter feito intercâmbio, entendo as suas observações e acho importantes para quem quer realmente aprimorar o idioma.
        Juliana, tenho que discordar das suas colocações: inglês fluente é importante no Brasil e não pode confundir nível “native” com “fluent”.

        Trabalho em uma multinacional, que digamos é “Bem Grande”, e temos problemas em preencher as vagas de trabalho porque as pessoas não são fluentes no inglês.

        Fluente vs Nativo
        No entendimento que tenho hoje, basado na minha experiência no trabalho (4 anos escrevendo, lendo e falando em inglês com pessoas de praticamente todos os continentes) posso dizer que fluente é um inglês aceitável para trabalho, relacionamentos sociais e vida sem problemas na comunicação.
        Nativo, é um nível que poucos estrangeiros atingem, porque exige um trabalho específico de aculturamento + refinamento da fala, escrita e leitura, que nem todos estão dispostos, ou mesmo não precisam fazer.

        Acredito que o Caio seja fluente, pode não ser “native”, mas fluente com certeza ele é.

    • Esse artigo ficou muito bom. Eu já viajei para Vancouver por três vezes, sempre a turismo, não pretendo morar aí, mas adoro fazer turismo e a cada vez, escolho uma parte da cidade e vou na louca (leia-se: google maps, mapa de ônibus ou trens e caminhos para fazer a pé). Não fui com intuito de aprender inglês (estou no nível intermediário ainda) mas me recuso a falar português quando estou no Canadá. Só falo com nativos ou imigrantes que falem ingles e, da última vez, encontrei jovens brasileiros falando de São Paulo e seu trânsito. Ato contínuo, comecei a conversar EM INGLÊS com os dois e, pasme, eles ficaram: mas você não é brasileira, porque não fala português? Minha resposta? “Because I am here to practice my english and learn to listen. It is better if you don’t try to talk in portuguese when you want to learn english.” (perdoe qualquer erro, gramática para mim é um sofrimento e não tenho vivência para ser lá muito fluente escrevendo…)

      Ou seja, entendo completamente a situação que você descreveu. Perde-se muita coisa querendo manter as conversas em português. Minha coleção de expressões e palavras aumentou loucamente com essas viagens, mesmo ficando apenas dez dias de cada vez. Entro em lojas, converso com o lojista, pergunto como se fala alguma coisa (foi assim que aprendi o que era backpack, mall, bag (no sentido de embalagem para compras), medicine, pork, drugstore (e não pharmacy que eles quase não usam) dentre muitas outras expressões. Achei sua dica fantástica.

  • Excelentes dicas! Concordo 100%, e acho que muitos jovens decidem fazer intercâmbio mais pra curtir do que pra aprender mesmo… e como quem banca são os pais, é mais fácil convence-los a pagar por um intercâmbio do que por 2 meses de viagem de férias, né? Mas você está certíssimo, e terei isso em mente quando chegar a minha vez de ir pro Canadá! Abração!

  • ótimo texto! pretendo estudar inglês durante um mês em Toronto, vou sozinho já pra evitar qualquer dialogo em português, mas na minha opinião esses brasileiros que ficam falando em português a maior parte do dia na maioria das vezes são “bancados” pelos pais. valew Caio e Guilherme!

  • Muito boas as dicas Caio, vou ai pra ficar um mês, e pretendo aproveitar o máximo de tempo pra falar Inglês, se eu quisesse falar português ficava aqui em Sp mesmo, Cara com quantos anos você se mudou para o Canadá ?
    Parabéns pelo blog mais uma vez, abraço !

  • Tenho medo de acontecer isso comigo, mesmo pq meu inglês não é tão bom. Na casa em que vou ficar provavelmente terá outros intercambistas, tomara que eles falem bem, senão será complicado! rs

  • Eu passei um mês e meio em vancouver agora entre dezembro e janeiro. Todo grupo de brasileiros que eu encontrava acontecia isso, eles só conversavam em portugues. Eu dei sorte de que os amigos que eu fiz do nível avançado, e quem eu costumava sair e passar mais tempo, mesmo estando entre brasileiros nós só conversavamos em inglês. Aprendi bem mais conversando no dia a dia do que conversando com professores na escola provavelmente

  • Foram mais de seis anos sonhando e planejando minha viagem ao Canadá, tive inúmeras duvidas e incertezas nesse processo que foi tão longo mais feliz a cada etapa realizada! Uma coisa eu sempre soube, quando fosse evitaria ao máximo o contato com brasileiros e foi o que fiz. Foram dois longos e maravilhosos meses vivendo em Vancouver, quando cheguei em 05/02/2012 meu inglês era mais do que sofrível, não sei se era pelo nervoso de nunca ter viajado para outro país, ainda mais sozinho que meu inglês sumiu, as únicas palavras que saiam era, yes, no e I don’t understand… Não tive vergonha em nenhum momento afinal a felicidade de ver meu maior sonho ter se tornado minha realidade me fazia infinitamente feliz e aberto para tudo que fosse novo! Alias fiquei com vergonha na hora que eu cheguei na minha Homestay, tipo nos cinco primeiros minutos. lol
    Em menos de uma semana eu estava super adaptado a minha nova vida, ia para a escola sozinho, andava o dia todo por todos os mais improváveis lugares e aproveitava ao máximo o convivo com a minha hostfamily, que digo por experiência própria que esse convívio faz um super bem para o inglês.
    Amigos, a amigos essa parte merecia uma parágrafo só pelas boas lembranças que tenho todos os dias desde quando voltei. Japoneses e koreanos não falam bem inglês! Pode ser mais no caso eu também não falava então a gente se ajudava e isso não tem escola que o faça! Se bem que na minha casa meu colega do Japão falava mais do que fluente então isso de não falar é muito relativo…
    Comi comidas que eu nunca pensei em comer em toda minha vida, fui a lugares tão maravilhosos que nem em meus melhores sonhos eram se quer parecidos, conheci pessoas que me faziam me sentir especial a cada gesto e definitivamente fui feliz no meu Canadá…
    Agora é trabalho, estudo e dedicação e logo eu estarei na minha tão amada Vancouver outra vez, só que agora para sempre e sempre…Vanlover Forever…
    Caio Prezia e Canadá para brasileiros, obrigado por nesses mais de seis anos de jornada rumo ao Canadá, você fazer parte deles fazendo com que eu e tantos outros possamos sentir mais perto desse lugar tão especial que é o Canadá…Obrigado…

  • Belas Dicas Caio!!!
    Estou planejando muito para conseguir ir para o canada!!
    Parabéns pelo seu trabalho!!

  • Caio adorei seu post!

    Eu sonho em conhecer o Canada desde os 11 anos (não sei como foi que me apaixonei tanto por esse país), e desde então fiz de tudo para ir para esse país, comecei a fazer cursinho de inglês e tentei intercâmbio pelo Rotary já que era mais acessível financeiramente, mas não consegui o Canadá, então fui para o México, e morei por um ano lá. Amei o intercâmbio, fiz milhoes de amigos e a minha sorte foi ter ficado numa cidadezinha pequena que não tinha brasileiros, so tinha uma alemã! Então eu passava 99% do tempo falando espanhol, so falava portugues quando encontrava outros intercambistas nas viagens organizadas pelo rotary. E percebia que os que moravam nas cidades maiores que tinha maior concentração de brasileiros, tinham maior dificuldade com o espanhol, porque eles falavam muito portugues a maioria do tempo.

    Bom agora depois de 13 anos de sonho de ir para o Canada, vou realizar mes que vem!

    E escolhi Vancouver por ser uma cidade maravilhosa e com muita coisa para conhecer, porém estou com medo, porque vejo que tem muito brasileiro, em todas as escolas!

    E meu objetivo é aperfeiçoar no maximo meu ingles, pois preciso impreterivelmente para a minha profissão, secretariado executivo, ingles é fundamental para eu conseguir uma boa vaga aqui no Brasil.

    Fechei um curso de 10 semanas, vou começar dia 11 de março, pelo menos essa epoca acredito nao ter tantos brasileiros por ja ser baixa temporada.

    Adorei seu post pois assim vou focar mais ainda e se precisar fugir dos Brasileiros vou ter que fugir…. nao sei como, rs mas vou tentar!

    Obrigada e abraços!

  • Olá, eu concordo com tudo que foi escrito por você Caio, eu passei uma temporada em Vancouver, e os dois primeiros meses eu passei muito tempo com Brasileiros. Embora muitas escolas tenham regras em relação a falar inglês, muitas delas acabam aceitando muitos brasileiros e deixando as classes lotadas, um exemplo disso, é que eu estudei em uma classe que mais da metade eram brasileiros, com tantos brasileiros aumentam as oportunidades de falar português dentro e fora da escola.
    No segundo mês nesta escola, percebi que nada iria mudar..Então eu resolvi mudar de escola e optei por uma escola para imigrantes ISS, foi a melhor decisão que tomei!!!Conheci apenas 3 brasileiros nos meses em que passeio lá, a maioria do alunos eram Coreanos, Japonês, europeus e mexicanos etc.
    Como a maioria dos alunos que estudavam nesta escola ou moram lá ou pretendiam ficar mais de 1 ano no país, esses alunos acabaram se tornando meus amigos de escola e balada.
    Mesmo assim, eu ainda tinha amigos brasileiros fora da escola, que via apenas nos finais de semana, mas sempre que se encontrávamos levamos outros amigos de outras nacionalidades, logo a língua oficial de todos era inglesa.
    Mas a melhor experiência que eu tive e recomendo é viajar com os canadenses, eu tive a oportunidade de ir para o México com um avião fretado de canadenses, passei uma semana em um hotel e gastei muito meu inglês lá.
    Como os canadenses estão de férias eles têm muita paciência para conversar, eles ficam curiosos a respeito do Brasil e fazem muitas perguntas, fiz ótimas amizades , me diverti aprendi muito ouvido eles , e depois que eles tomavam várias ficava ainda mais fácil ouvir a pronuncia..rs
    É o melhor em 1 semana eu aprendi mais inglês do que em meses, voltei para Vancouver com amigos e inglês fluente.
    Então recomendo, se você não tem dinheiro para fazer intercâmbio, vá para o México ou para região do Caribe e gaste seu inglês lá..com certeza, será uma ótima oportunidade de aprender inglês , tomar tequila e pegar sol…rs
    abraços

  • Parabéns pelo post!
    Vou falar um pouquinho da minha experiência.
    Fui para Canadá com inglês tabajara total só o basicão mesmo. Minha homestay tinha estudante coreano e japones ,a mãe é Filipina e assim começou minha aventura!
    Optei por uma escola que 80% eram asiáticos e de brasileiro só tinha EU e Renata de Sao Paulo ( que tinha um nivel excelente de inglês) é claro, que ficamos amigas ,mas boa parte do inglês que aprendi dedico a ela. Ela SÓ conversava comigo em inglês e isso me ajudou muito. Fiz amizade com coreanos ,japoneses e arabes e sempre os convidava quando saia com brasileiros, pois assim teriamos que falar inglês. Quando ao fato dos asiáticos terem uma pronuncia dificil,isso me ajudou a desenvolver a escrita ,pois quando não os entendia pedia para escrever e assim fui me acostumando com a pronuncia deles e de quebra melhorei a escrita além de aprender vocabulário.Costumo dizer que os asiáticos tem um dicionário de inglês na cabeça , pois eles tem vocabulário vasto!!
    Acho que o melhor a fazer é o mix cultural tenha sempre a sua volta outras culturas você só terá a ganhar!!!

  • Mas eh bem isso mesmo que voce falou, Caio. A minha sorte foi morar em uma cidadezinha no meio de Alberta onde o brasileiro mais proximo ficava a 60 km de distancia. Isso me forcou a falar apenas ingles e o tempo de conversa com os amigos no Brasil era curto.

  • Não posso falar sobre a experiência de aprender Inglês fora do Brasil, mas como professora posso afirmar que essa atitude não é exclusiva de estudantes que saem do país para aprender uma língua. Acho que vários fatores influenciam, mas acredito que o fator principal é que os estudantes não entendem que aprender uma nova língua depende muito mais deles do que dos professores/ambiente.
    Cursos de línguas no Brasil não são baratos, e muitos não são nem razoavelmente bons. É um grande investimento, principalmente quando se leva em conta a duração do curso. Muitos alunos acreditam que tentar falar Inglês duas horas por semana, pelo tempo que for preciso, é o suficiente para que se tornem fluentes. Alunos que se dedicam dentro da sala de aula, mas que não se preocupam em melhorar sozinhos, em praticar Inglês fora da escola, seja falando, lendo, ou até mesmo vendo um filme com legenda. E muitos desistem quando percebem que não estão indo tão bem.
    Tenho alunos nos último níveis, teoricamente fluentes, que não conseguem ler ou falar. As escolas geralmente passam o aluno de nível simplesmente para não perder o cliente, que tem a impressão de estar indo muito bem, quando na verdade não está. Esse excesso de confiança + falta de esforço faz com que, todo anos, milhares de alunos terminem os cursos sem conseguir sair do básico.

  • Legal Caio… Concordo plenamente com o que voce disse..e mais…vivencio esta experiencia atualmente… Estou vivendo aqui com meu marido a 2 meses…pretendo morar aqui e o que vejo na escola e todo dia portugues…alias aqui tem muito brasileiro…e eles nao ligam para isso porque a maioria e bancado pelos seus pais….outra coisa que sempre faco …..fico longe de brasileiro nas aulas…falo em ingles o maximo com eles …mas minha melhor amiga e venezuelana e amo ficar com japonese e coreanos…realmente e dificil entender as vezes ..mas todos tem otima gramatica…e sao muito amorosos..e nada como um pouco de paciencia…todos estamos no mesmo barco…. em casa sempre falamos portugues o menos possivel.. Fica a dica….

  • Olá Caio! Parabéns pelo seu post! Eu também concordo que a maioria dos estudantes brasileiros voltam para o Brasil sem falar Inglês. Acho realmente uma perda de tempo e dinheiro vir para cá estudar Inglês e só falar Português. Sei que não é fácil ter que falar Inglês o tempo todo, mas se não forçamos o nosso cérebro, vai ser difícil ficar fluente ;-)

    Abraços
    Fernanda

  • Caio, boa tarde.

    Sou comissário de voo, trabalho numa empresa brasileira e antes disso eu vivi pouco mais de dois anos em Londres. E é extremamente importante praticar o inglês fora da escola, muito mais importante do que o tempo gasto nas aulas. Seja com alguém que fale melhor que você ou com alguém que tenha tanta desenvoltura no idioma, tendo este último como oportunidade para rever o conteúdo já estudado e também ajudar o colega.

    Parabéns Caio. E ano que vem nos vemos aí em Vancouver.

  • Bom dia Caio,

    Parabéns pelo post. Em 2006 fiz uma viagem de 1 mês para Toronto e a moça da agência de intercâmbio disse exatamente o mesmo para mim.

    A minha host era colombiana e eu fiquei com medo de ela tentar falar apenas espanhol comigo, então logo no primeiro dia comentei com ela o meu medo. Ela disse que compartilhava da minha opinião, que eu tinha gasto um bom dinheiro para aprender inglês.

    Logo em seguida cheguei na escola e logo depois da primeira palestra com o dono da escola nós tivemos uns momentos para nos conhecermos. Claro que as pessoas se juntaram por nacionalidade, era a única coisa informação que tínhamos no momento. Ficamos então em basicamente 3 grupos: Hispânicos, Brasileiros e Orientais. Lembrando da orientação que tive no Brasil, puxei um alemão para o nosso grupo e uma amiga (que talvez tenha tido a mesma ideia que eu) puxou uma francesa. Com isso ficava muito feio conversar em português e isolar os dois, então só nos falamos em inglês. Isso foi bom para separar o grupo de brasileiros que queriam aprender inglês e os que não queriam.

    Acho que essa atitude pode ser tanto falta de orientação quanto falta de vontade real de aprender. É uma pena ver que as pessoas gastam tanto dinheiro e não sabem aproveitar.

    Um grande abraço, parabéns pelo post. É um tema muito importante de fato

  • Nossa cara, muito bom post mesmo, estou escrevendo esse comentário e ouvindo podcast, acredito que eu seja o leitor e assinante no Brasil mais distante que tenham cara e sou casado etc.. mas falar verdade nunca me senti parte do Brasil, não que eu não seja patriota mas o Brasil é subdesenvolvido demais e isso me incomoda, bom, mas voltando ao assunto, uma das coisas que nos destacam no Brasil é saber a falar inglês e estou aprendendo aos poucos mas tudo que vejo na rua, musicas, objetos, series sempre procuro transformá-las em inglês para que o inglês seja parte do meu dia a dia. Como falou, não adianta fazer um intercâmbio para se falar portugues…

    Moro em Altamira/PA sede da usina hidrelétrica Belo Monte sou Técnico de segurança do trabalho e fã de carteirinha da Apple :)

    • Eu fiz exatamente isto quando fui passar um mês em Montréal, primeiro que dividi a casa com um estudante suíço e segundo que limitava a saída com brasileiros. Inicialmente, tinha interesse em estudar francês na escola, mas vi que o que tinha aprendido no Brasil não dava nem pra começar por lá, então mudei para o inglês. Fiz amizades com outros brasileiros sim, mas deixava bem claro que só sairia com eles se fosse pra falar inglês ou francês. Priorizava mais as saídas com os colegas coreanos, chineses, suíços e alemães com conhecimento melhor que o meu. Terminei por aprender outros idiomas além dos que eu tinha interesse. Aprendi logo a andar de ônibus e metrô e pegar a manha de traduzir letreiros e conversar com nativos nos coletivos, eles são muito atenciosos, principalmente quando falamos que somos brasileiros, eu vi o brilho nos olhos deles perguntando como era a vida no Brasil.

  • Caio, vc escreve super legal. Ler os seus comentários é um fluir contínuo, gostoso. Acabo de entrar no blog e quero ler mais. Sou uma pessoa não tão jovem como a maioria das pessoas que comentam o seu blog, no entanto, sou jovem de cabeça. Bom, tenho 54 anos, Sou fluente em Inglês e tenho comigo a vontade de dar uma morada em Vancouver por uns 2, 3 anos. Vou começar a ler o seu blog, aprender o ali está explicado e depois te escrevo mais. Mas, que é um blog bacana, isso é.
    abraço,

  • Oi Caio tudo bem? Estou indo para Toronto estudar, mas peguei um visto de turista pq pretendia ficar apenas 6 meses, será ue consigo trocar o tipo do meu visto para estudo em buffalo? pois penso em estudar um college, já que tenho o visto americano? Obrigado!

    • Caio, comecei hoje a ler seu blog! Estou adorando! Eu e meu marido temos a intençao de ficar 6 meses em Toronto. Assim como o Roberto, quero saber se eu for com o visto de turista e quiser ficar mais tempo, o que devo fazer. Já falei com várias agências, e cada uma dá uma informação. Obrigada!

  • Olá! Caio. Muito proveitosas suas informações. Estou no Brasil e não sei por onde começar. Preciso de um “passo a passo” para que eu possa consseguir ir trabalhar no Canadá. Espero sua resposta. Muito obrigado!
    Haroldo Lima Rodrigues.

  • Um truque que eu tenho eh sempre levar um amigo nao-brasileiro nas saidas com meus amigos brasileiros. Nisso eles se forcavam a falar ingles hehehe

    Fora que evito bastante a galera de brasileiros que so andam juntas! Eu so tenho 4 amigos brasileiros por aqui :P

  • Eu geralmente não comentar em blogs, mas seu artigo me obrigaram
    a, incrível trabalho.

  • Você disse TUDO! No meu caso, eu vi muitas, mas muitas mesmo, pessoas do Brasil em London falando em português, e isso me irritou bastante, porque eu não sou de um nível avançado em inglês e quero muito aprimora-lo, mas é difícil quando ninguém parece querer te ajudar. O que eu fiz foi exatamente isso, tentar manter a distância, e as vezes eles vêm até você com o papo de “Brasil na veia”, cara! NÃO! Se você está no EXTERIOR para aprender a outra língua, qual o objetivo de falar sua língua nativa? Bom, eu queria agradecer por você ser uma pessoa tão mente aberta para ver isso tudo e mostrar-los que não é legal (: E olha que eu só tenho 16 HAHAHA

  • Bem, realmente é o que você disse no texto. Tentarei ao máximo, fugir aos erros apresentados e sair com meu inglês bacana! ;)

  • Oi, Caio.
    Sou pediatra e gostaria muito de poder exercer a minha profissão no Canadá. Vc sabe como isso é possível? Precisa-se muito de Pediatras em Vancouver?
    Obrigado.

  • Olá! Gostei muito do texto. Mas meu ponto de vista é: depende do objetivo de quem vai estudar no Canadá. Eu por exemplo, fui fazer intercambio esse ano em Toronto. Eu tirei férias de um mês do trabalho para estudar em uma escola e ficar em homestay. Como sou servidora pública, no meu cargo, não tenho necessidades profissionais de saber inglês fluente. Então, eu nao ficava encucada em falar somente inglês, pois meu objetivo nao era apenas aprender inglês, mas também passear, conhecer pessoas, lugares, comidas, experimentar, ver, sentir esse novo lugar. Entao fiz amizades com brasileiros sim, falei português várias vezes, mas nao me sentia culpada por isso. Eu paguei a minha viagem e sabia por que eu estava ali. Nem por isso, eu deixei de aprender muito inglês, falando na escola, no comercio, na minha homestay. Acredito que o intercambio e o aprendizado depende muito do objetivo de cada um.

  • Olá,
    Caio

    Estou programando a minha primeira viagem internacional e pretendo ficar 1 mês no Canadá (Toronto), já me matriculei em um curso de inglês para os 30 dias, mas …. não falo inglês estou fazendo um curso no Brasil há 1 ano sou iniciante e tenho muito o que aprender. Minha dúvida é será que vou consegui me virar, estou com medo de ficar perdida e não consegui falar com as pessoas.

  • E ai Caio, tudo bem ?

    Seguinte, estou indo para Vancouver em Setembro estudar inglês, porém estou ficando muito tenso por não saber o inglês.. medo de passar muito aperto. E ainda, estar chegando já no inverno.

    Tem alguma dica que pode me dar, para eu tentar acalmar meus ânimos.

    Obrigado

  • Concordo 100 por cento no seu ponto de vista, moro no Japão 17 anos tudo que sei foi por escolher trabalhar com os nativos,ouvir rádio e ver TV em japonês , muitos estão mesmo tempo que eu e vivem pagando tradutores para várias coisas eu não consigo entender e acreditar!!!!

  • Também se estiverem interessados, há uma boa escola que faz cursos de IELTS e de preparação para a língua Inglesa em Nottingham, na Inglaterra. Chama-se Nottingham English School.

    E a preparação para o IELTS é ótima.

  • Olá a todos, estou planejando um intercâmbio de 1 mês em Vancouver, decidi isso 1 mês atrás, então não sei praticamente nada sobre o Canadá, mas estou estudando tudo, e queria agradecer s todos vocês, principalmente ao Caio. Eu ja li TODOS os posts e comentários da galera. E estou cada vez mais animado pra viagem. Obrigado gente =D

  • Tudo isso é verdade, mas aqui na Irlanda é quase impossível seguir as dicas do final.. É triste pensar que estou gastando tanto dinheiro a toa, mas a cidade está infestada de brasileiros.. você não consegue encontrar acomodação com estrangeiros, todo lugar que você vai está lotado de brasileiros (a não ser nos lugares beem caros, mas mesmo assim tem uns ou outros).. e aí no brasil ainda tenho uma namorada que fica louca se eu não tirar no mínimo uma hora por dia pra falar com ela.. é complicado… fora os flatmates inseguros que arrumei, me perseguem pra todo lado, raramente consigo dar uma escapada pra sair sozinho

  • Parabéns pelo site, fantástico… tô lendo todos os posts
    meu inglês é super básico, e estou querendo dar um UP na vida, estou querendo passar um mês em Vancouver em uma dessas escolas.
    TEm algumas dicas de como se virar na primeira semana sem ser na mimica?
    deve ser uma experiencia muito boa, não vejo a hora