Onde morar? Essa é uma das principais dúvidas dos brasileiros que planejam vir morar e estudar em Vancouver. E a resposta fundamental para essa dúvida frequente é morar próximo às estações de metrô, ou “SkyTrain” como é conhecido na cidade. O site “Vancouver Para Brasileiros” preparou um completo, testado e aprovado guia de transporte para ajudar os brasileiros a não se perderem em Vancouver.

Como funciona?

As estações de metrô estão divididas em 3 zonas. As de Downtown – região onde se encontra a grande maioria das escolas de inglês – estão dentro da chamada “Zona 1”. As estações das zonas 2 e 3 estão mais distante do centro, sendo a “Zona 3” a região mais afastada. Saber isso é muito importante na hora de escolher uma moradia: quanto mais longe de Downtown, mais o estudante pagará pelo transporte. Se o estudante morar, por exemplo, numa região dentro da Zona 3 do Sky Train ele terá que comprar um cartão mensal de transporte chamado “Tree Zone”, que custa cerca de 136 dólares. Se esse mesmo estudante morasse dentro da “Zona 1”, ele pagaria 73 dólares pelo cartão.

As casas de homestay estão em grande parte localizadas nas regiões de Burnaby, North Vancouver ou proximo à linha de onibus B-Line, que corta a cidade de Norte a Sul. Dessa forma, bons lugares para morar nessas regiões são os proximos às estações Nanaimo, 29th Avenue, Joyce, todas elas ainda dentro da “Zona 1”. Dentro da Zona 2, regiao de Burnaby, estão por exemplo as estacões Patterson, Metrotown (maior e mais popular shopping da cidade), Royal Oak e Edmonds – essa última, localizada a cerca de 25 minutos de Downtown.

Para quem vai morar em North Vancouver, o acesso a Downtown é feito através do SeaBus, um misto de barco e ônibus. Para utilzar o SeaBus o estudante deve comprar o cartão mensal de metrô para Zona 2. Em Vancouver todos os meios de transporte públicos estão integrados num único sistema. Portanto, com um cartão mensal é possível utilizar com frequência ilimitada o serviço do Sky Train, SeaBus e dos ônibus que circulam pelas principais ruas e avenidas da cidade.

Dicas importantes

1) O metrô de Vancouver é bem eficiente. Os trens passam em média a cada 3 minutos. Se você, por exemplo, quiser curtir as baladas de Downtown , é importante saber que o último metrô nos finais de semana sai à 1h20 da madrugada. Após esse horario, será preciso pegar o NightBus que trafega do centro para o Sul da cidade a cada 30 minutos.

2) Se você mora em Downtown existe ainda a linha do ônibus B-Line, que sai de Downtown e segue pela Granville Street até o Aeroporto de Vancouver. Apesar de não ser tão rápido e cômodo quanto o metrô, a linha conta com ônibus grandes, confortáveis, pontuais e, claro, aquecidos.

3) Nos finais de semana não há divisão de zona. Portanto, quem possui cartão Zona 1 poderá circular livremente pelas regiões da Zona 2 e 3 em sábados e domingos. O mesmo vale para dias da semana após às 18h30. Além disso, nos domingos, é possivel andar de metrô com quatro acompanhantes utilizando apenas um passe mensal de transporte.

4) As estações de metrô de Vancouver não possuem catracas. Mas isso não dá a ninguém o direito de entrar sem pagar. Uma situação muito comum é ver fiscais entrarem nos trens de metrô e solicitar os passes aos passageiros. Não ter o passe implica numa multa bastante salgada. Portanto, nunca esqueça o passe em casa.

5) Quem não possui o passe mensal e precisa utilizar esporadicamente do serviço de transporte terá que pagar por um passe avulso (Zona 1 = 2,50 dólares). Esse ticket pode ser comprado na entrada de qualquer estação de metrô. A compra é feita através de máquinas automáticas que aceitam desde moedas a notas de 20 dólares. Todas as máquinas dão troco e algumas delas aceitam até cartão de crédito. No caso dos ônibus, o passageiro tem que depositar em moedas, numa máquina em frente ao motorista, a quantia exata referente ao passe avulso.

6) Na parte traseira de todo cartão avulso de transporte há um número referente à zona e o horário permitidos pelo passe. Um passe avulso dá o direito de andar por uma hora e meia.

7) Em Vancouver não é preciso esticar a mão para pedir para o ônibus parar. Não cometa essa gafe. Os ônibus param em todos os pontos de passageiros.

8) Para descer do ônibus o procedimento é semelhante ao do Brasil. Basta o passageiro puxar a cordinha. No entanto, quando o ônibus parar no ponto, o passageiro precisa descer um degrau para que a porta se abra. Existem ônibus em que é preciso dar um leve toque na barra vertical da porta para poder descer.

9) Nunca é demais lembrar que idosos e pessoas com deficiência física têm prioridade de assento nos transportes. Geralmente, os assentos da frente dos ônibus possuem indicações a serem seguidas nesse sentido.

10) Caso você não saiba exatamente em que ponto descer, informe ao motorista e peça ajuda. Eles são geralmente muito prestativos e certamente poderá prestar ajuda. Nesses casos, o motorista costuma avisar em um microfone ao passageiro o local exato da descida.